Brado Retumbante

Do golpe às diretas

Paulo Markun

Conteúdo com a tag Arthur da Costa e Silva:

Luta armada

Foi Leonel Brizola quem primeiro tentou derrubar a ditadura de 1964 pelas armas. Chegou mesmo a estabelecer um contato direto com os cubanos e criou o Movimento Nacionalista Revolucionário, que teve alguns militantes treinados na ilha. Em março de 1965, uma coluna organizada pelo ex-coronel Jefferson Cardim deixou Três Passos no Rio Grande do Sul. Três dias mais tarde, o grupo foi disperado a tiros pelo Exército em Cascavel, no Paraná.

Passeata dos Cem Mil

Para alguns, a chamada Passeata dos Cem Mil não teve tanta gente assim e só ficou conhecida por esse nome graças a mais uma sacada marqueteira do jornalista Samuel Wainer, em busca de uma manchete impactante para sua Última Hora. Outros, como o então líder estudantil Franklin Martins, asseguram que o mar de gente pelas ruas do centro do Rio de Janeiro, no dia 26 de junho de 1968 – ano de extensa movimentação estudantil, ano do AI-5 – foi ainda maior.

Morte de Edson Luís

Relatório das circunstâncias da morte de Edson Luís:

Dados Pessoais

Nome: Edson Luis de Lima Souto

Cidade: (onde nasceu) Belém

Estado: (onde nasceu) PA

País: (onde nasceu) Brasil

Data: (de nascimento) 24/2/1950

Atividade: Estudante secundarista

Morto ou Desaparecido: – Morto. 28/3/1968, Restaurante Calabouço

Terrorismo de Estado

Durante a ditadura, do lado do governo, houve quem considerasse até as decisões de governantes sem voto (como os atos institucionais), insuficientes para controlar a sociedade e enquadrar a oposição. E partiram para o terror. Os atentados mais radicais foram abortados pela insubordinação de um militar.

AI-5

Quinto de uma série de decretos emitidos pelo regime militar, o Ato Institucional nº5 é diferente dos demais. Tido como um divisor de águas, ele marca o início do que se convencionou denominar “Anos de chumbo”, o recrudescimento do regime, que, à época, se concentrava nas mãos de militares linha-dura.

Atos Institucionais

O instrumento utilizado pelos militares para impor a nova ordem foram os atos institucionais. Era uma forma de dar alguma legitimidade ao que era um desrespeito a divisão de poderes que sustenta a República.

João Figueiredo: o último general-presidente

Doze dias depois de instaurar o Estado Novo, Getúlio foi presidir a cerimônia de formatura de mais uma turma da Escola Militar de Realengo. Como de praxe, cabe à maior autoridade entregar o espadim que simboliza a condição de aspirante da arma da cavalaria ao melhor aluno. Informado de que tratava-se do filho de um coronel, o presidente capricha no elogio:

Espero que o senhor continue a carreira militar no mesmo passo em que a está iniciando, e se torne um oficial tão brilhante como seu pai.

Ulysses Guimarães: o Senhor Diretas

Primeiro dos cinco filhos da professora Amélia Correa Fontes e do coletor de impostos Ataliba Guimarães, Ulysses Silveira Guimarães, nasceu em Rio Claro, no interior de São Paulo. Mas como aconteceu com outras figuras públicas aqui já mencionadas há dúvidas ou imprecisão sobre a data exata de seu nascimento. Sua biografia oficial crava dia seis de outubro de 1916. Mas o repórter Francisco Ornellas de O Estado de S. Paulo localizou dois documentos que apontam para o mesmo dia, mas um ano antes.