Brado Retumbante

Do golpe às diretas

Paulo Markun

Conteúdo com a tag PDT:

O passado de oposição de Agnaldo Timóteo

Editoria: Blog do Jorge Felix 20/09/2011 – terça-feira

Muita gente estranhou e comentou, ontem, a presença, no Museu de Imagem do Som, do vereador Agnaldo Timóteo no lançamento do portal Brado Retumbante, com registros da campanha das Diretas já. Poucos se lembravam que, em 1985, Timóteo era deputado pelo PDT de Leonel Brizola e participou, sim, do movimento pela redemocratização do país.

Link: http://colunistas.ig.com.br/poderonline/2011/09/20/o-passado-de-oposicao-de-agnaldo-timoteo

O Comício do Anhangabaú

No dia 16 de abril de 1984, aconteceu no Vale Anhangabaú, em São Paulo, o último grande comício da Campanha das Direta. Na mobilização, agora coordenada por um comitê com mais de cem entidades, foram utilizados três milhões de panfletos, 100 mil cartazes e chamadas no rádio e na TV.

A volta de Brizola ao Brasil

Com um terno em tecido jeans e um distintivo tricolor do antigo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), hoje Partido Democrático Trabalhista (PDT), na lapela, o engenheiro Leonel Brizola chegou ao aeroporto de Foz do Iguaçu às 17h25 do dia 06 de setembro de 1979, para encerrar o mais longo exílio já vivido por um político brasileiro. Ele desceu de um bimotor Piper de oito lugares que o trazia de Assunção e atravessou a pista acenando alegremente.

Eleições de 1982

As primeiras eleições diretas para governador após o golpe militar (e a parcial de 1965) aconteceram em 15 de novembro de 1982 e foram o maior pleito da história política do país, até então. O eleitor podia escolher seis cargos: governador, senador (uma vaga), deputado federal, deputado estadual, além de prefeito e vereador.

Pluripartidarismo

Em maio de 1975, Ulysses Guimarães, acompanhado pelo secretário-geral do MDB, Thales Ramalho, encontrou-se com o general Golbery do Couto e Silva. Uma reunião ultra-secreta, vinculada ao compromisso de que nada do que fosse conversado ali poderia ser levado adiante.

Generais no poder

João Baptista de Oliveira Figueiredo foi o último general a chegar à presidência da República na ditadura. A ele caberia completar o projeto de abertura lenta, segura e gradual planejado pelos generais Ernesto Geisel e Golbery do Couto e Silva, entregando o poder a um civil alinhado com os princípios da Revolução de março de 1964.

Diretas Já

Desde que o primeiro ato institucional permitiu a eleição indireta do marechal Castelo Branco, as diretas passaram a fazer parte do programa da oposição. Mas durante um longo tempo, a tese aparecia em segundo plano, ofuscada pela proposta de uma assembleia nacional constituinte, sem a qual, imaginavam políticos e teóricos, seria inútil restaurar o voto direto.

Dante de Oliveira: o pai das Diretas-Já

No dia 6 de fevereiro de 1952, quando Dante Martins de Oliveira nasceu em Cuiabá, Getúlio Vargas era presidente e entrava na segunda semana de férias em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. João Figueiredo, ensinava oficiais a montar na Vila Militar, no Rio de Janeiro, Tancredo Neves e Ulysses Guimarães estavam no palácio Tiradentes, na condição de deputados do PSD.

Ulysses Guimarães: o Senhor Diretas

Primeiro dos cinco filhos da professora Amélia Correa Fontes e do coletor de impostos Ataliba Guimarães, Ulysses Silveira Guimarães, nasceu em Rio Claro, no interior de São Paulo. Mas como aconteceu com outras figuras públicas aqui já mencionadas há dúvidas ou imprecisão sobre a data exata de seu nascimento. Sua biografia oficial crava dia seis de outubro de 1916. Mas o repórter Francisco Ornellas de O Estado de S. Paulo localizou dois documentos que apontam para o mesmo dia, mas um ano antes.

Leonel Brizola: um gaúcho bom de briga

Nasceu Brizola, mas não Leonel: até um ano e três meses sua mãe, Onívia de Moura Brizola, só o chamava de gurizinho. Ela queria batizá-lo como Itagiba. Mas o pai, o lavrador José de Oliveira Brizola, mais conhecido como Beja, não aceitou, e, antes que os dois resolvessem o impasse, ele já estava entre os mil homens arregimentados pelo camponês maragato (federalista) Leonel Rocha para participar da Revolução de 1923.